Fluviário Mãe D’Água

A água sempre esteve envolvida em mística pelo seu significado nos atos litúrgicos, na alimentação, na purificação, na limpeza e na Natureza. Os monges cistercienses eram especialistas em hidráulica, tendo deixado obras notáveis.

Neste local construíram a conduta de água potável que, com o início na nascente do rio Alcoa, ainda hoje abastece a cozinha do Mosteiro, o caudal da levada fornecia a energia necessária para movimentar os engenheiros do espeto, as mós das azenhas e similares, os monges cistercienses privilegiam o peixe na sua dieta alimentar, dispondo para o efeito de tanques de criação de carpas, por esta razão se tornava tão importante a preservação do caudal do rio.

O Fluviário Mãe d’Água disponibiliza um conjunto de tanques onde é possível observar diversas espécies como: Carpas Koi; Peixe Gato; Achigã.

TOP